WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Especialista: Período seco de vacas leiteiras é importante e deve ser respeitado!

O sucesso da produção de leite de um rebanho comercial começa nesta fase, pois a atenção especial com o manejo pré-parto evita prejuízos, pela menor incidência de problemas no parto e início da lactação

Especialista: Período seco de vacas leiteiras é importante e deve ser respeitado!

O sucesso da produção de leite de um rebanho comercial começa nesta fase, pois, a atenção especial com o manejo pré-parto evita prejuízos, pela menor incidência de problemas no parto e início da lactação. “O correto manejo pré-parto, principalmente o nutricional, referente a este período de transição, tem sido alvo de estudos e mudanças, como mostra NRC 2001 para Gado de Leite”,explica Dr. Luciano Patto Novaes, professor do Curso CPT Manejo da Vaca Gestante no Parto e Pós-Parto.

A razão do período seco para uma vaca é o descanso do aparelho digestivo e regeneração do sistema mamário. É neste período que o produtor de leite toma as devidas precauções em relação a futuros problemas pós-parto, conhecidos como distúrbios metabólicos. A menor incidência destes problemas no início da lactação está diretamente relacionada ao correto manejo pré-parto, principalmente o nutricional, nos dois últimos meses da gestação.

Trabalhos realizados na Universidade de Cornell contabilizaram as perdas de produtividades econômicas em função da elevada incidência de distúrbios pós-parto como, acidose, laminite, cetose, deslocamento de abomaso, retenção de placenta, metrite e febre do leite. Sendo de ocorrência correlacionadas, seus efeitos podem ter efeito somatório, e o prejuízo é aumentado. As perdas observadas nos rebanhos nova-iorquinos variaram de 8 L/vaca/dia para o caso de deslocamento de abomaso, 9 L/vaca/dia para cetose.

Considerando que os distúrbios metabólicos ocorrem nos primeiros trinta dias pós-parto, se uma vaca produzindo 20 kg de leite/dia for acometida por esses dois distúrbios, em trinta dias de lactação, ela terá deixado de produzir, no mínimo, 228 kg de leite; portanto, se negligenciado o manejo das vacas neste período pré-parto, o prejuízo é certo e considerável. Outros estudos avaliando a incidência desses distúrbios metabólicos indicam sua influência no desempenho reprodutivo do rebanho, podendo aumentar o período em aberto (concepção pós-parto) e menor taxa de concepção ao primeiro serviço.

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Conheça os Cursos CPT da área Gado de Leite.
Por Silvana Teixeira. 

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!