WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

O estresse térmico prejudica vacas em pré-parto? SIM!

Sim, o estresse térmico prejudica vacas em pré-parto. É o principal fator de prejuízo de produção, pois provoca o aumento da mantença

O estresse térmico prejudica vacas em pré-parto? SIM!   Artigos CPT

 

Você é pecuarista ou profissional da área e tem dúvidas sobre os males provocados pelo estresse térmico em vacas prenhes? Acredite, você está no lugar certo. Leia essa matéria até o final e tire todas as suas dúvidas sobre esse assunto e para começar a nossa resenha, sim, o estresse térmico prejudica vacas em pré-parto. Sabe por quê?

“O estresse térmico é o principal fator de prejuízo de produção, pois ele provoca o aumento da mantença, sendo que as vacas já estão com alta exigência para a colostrogênese e para a gestação”, explica Pedro Henrique de Araújo Carvalho, professor do Curso CPT Estratégias de Alimentação para Vacas em Pré-parto e Lactação.

E não é só isso. Associado ao aumento de exigências de mantença, o estresse térmico também leva à redução do consumo, sendo necessária a preocupação também com a quantidade de matéria seca e não apenas com o percentual de ingestão.

Se acabou? Não, ainda não! O estresse térmico também produz efeito cumulativo no pós-parto, refletindo na redução da produção de leite da vaca que sofreu o estresse, das suas filhas gestadas sob o estresse e até das suas netas. Portanto, o estresse térmico causa efeito negativo na vaca, no bezerro e em todo o sistema, pois vai comprometer a produtividade e a eficiência alimentar, trazendo aumento de custos para o sistema de produção.

O que fazer, então, para evitar tamanho prejuízo causado pelo estresse térmico em vacas prenhes? Pois bem, vamos lá! Como alternativas para evitar e/ou diminuir o estresse térmico em uma propriedade, recomenda-se o adequado controle de temperatura ambiental através de ventilação e aspersão.

E como saber se deu certo? Isso é simples. O percentual de vacas que permanecem deitadas dentro da propriedade é um indicativo de conforto. Assim, quanto maior o número de vacas deitadas ou consumindo alimento, melhor está o conforto dos animais.

Gostou das nossas dicas? Leia a(s) matéria(s) abaixo e aprenda mais sobre o assunto:


- Lipídios na alimentação de vacas em lactação. Sim ou não? Muito ou pouco?

Um pouco mais sobre o que encontrar no Curso CPT? Assista ao vídeo!


 

 

Conheça os Cursos CPT da área Gado de Leite.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Quer mudar de vida e ter sucesso profissional? Vamos te ajudar!