WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Principais causas do vazamento do leite em vacas secas

Vacas de alta produção podem apresentar dificuldades em formar os tampões de queratina nos tetos, o que causa escape de leite

Principais causas do vazamento do leite em vacas secas

No período de secagem das vacas, tanto o volume de leite como a pressão no úbere aumentam significativamente com o acúmulo de leite. Como consequência, ocorrem vazamentos nos tetos da vaca, o que favorece a penetração de bactérias causadoras da mastite. Geralmente, alguns sinais comprovam essa disfunção, como fluxo (ou gotas) de leite dos tetos ou leite no chão logo abaixo do úbere da vaca.

Pressão intramamária


Isso acontece porque a glândula mamária da vaca continua a produzir leite mesmo no período de secagem. Com isso, a pressão intramamária aumenta, o que impacta no mecanismo de fechamento dos canais dos tetos, principalmente os dos quartos traseiros, que apresentam maior produção de leite quando comparados aos dianteiros. Esses canais são fechados naturalmente com a formação de tampões de queratina.

Tampões de queratina


Entretanto, é muito comum que as vacas de alta produção apresentem dificuldades em formar esses tampões, algumas delas nem mesmo os formam. Além disso, vacas com canais dos tetos curtos e largos tendem mais facilmente a vazamentos. Em geral, elas apresentam tetos mais curtos, pois vêm de rebanhos submetidos a programas de ordenha que utilizam robôs. Sendo assim, são mais suscetíveis a escape de leite pós-secagem.

Tensão no esfíncter


Outra causa de vazamentos em vacas no período de secagem é a taxa de fluxo de leite elevada devido à velocidade de ordenha, que pode aumentar a tensão no esfíncter. Como resultado, o canal do teto demora a fechar após a última ordenha. Geralmente, as vacas mais velhas têm maiores probabilidades de apresentarem problemas no esfíncter, já que passaram mais tempo em ordenhadeiras mecânicas.

Manejo de ordenha mecânica


Quando mal utilizados, esses equipamentos de ordenha automática podem causar sérios danos ao esfíncter, principalmente pela ação do vácuo, o que pode levar a rachaduras e hiperqueratose comprometendo o fechamento do esfíncter. Entretanto, “um manejo de ordenha mecânica adequado garante a integridade dos tetos”, afirma Juliano Ricardo Resende, zootécnico e professor do Curso CPT Ordenha Mecânica.

Níveis de cálcio e fósforo


A ordenha mecânica também pode estimular a liberação da ocitocina, o que pode resultar no escape do leite pelos tetos. O problema é mais comum em vacas com baixos níveis de cálcio e fósforo no sangue. Os níveis de cálcio devem ser maiores que 8 mg/dl e os de fósforo maiores que 3 mg/dL. Além disso, as vacas secas devem permanecer distantes da sala de ordenha para não serem estimuladas a produzir leite.

Conheça os Cursos CPT da Área Gado de Leite:

Ordenha Mecânica

Produção de Leite em Confinamento

Prevenção e Controle de Mastite

Fonte: Ceva Saúde Animal

Por Andréa Oliveira

Faça já o Download Grátis
Faça já o Download Grátis E-book Segredos para a Prevenção de Mastite e Produção de Leite de Qualidade

Basta preencher os campos abaixo para receber o material por e-mail:

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!