WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Problemas digestivos em bovinos: timpanismo ruminal

O timpanismo ruminal em bovinos também é conhecido popularmente como meteorismo ruminal ou empanzinamento

Problemas digestivos em bovinos: timpanismo ruminal

O timpanismo ruminal em bovinos também é conhecido popularmente como meteorismo ruminal ou empanzinamento. Tudo começa quando gases se acumulam e distendem o rúmen e o retículo do animal. Normalmente, o ruminante produz poucos gases fermentativos, o que não causa problema algum. Entretanto, o aumento e a dificuldade de expulsão desses gases podem dificultar a respiração dos bovinos.

O meteorismo ruminal é mais comum em rebanhos criados em confinamento, pois a dieta desses animais é basicamente constituída de ração com alto teor de concentrados. Outros fatores causar o empanzinamento em bovinos, como ingerir alta quantidade de alfafa, como pastagem ou silagem. Já no caso de bezerros, leite ingerido em excesso também pode resultar em timpanismo.

Timpanismo primário


No timpanismo primário, o rúmen do bovino se dilata de forma anormal. As principais causas são o aumento na viscosidade do líquido ruminal e a formação de múltiplas bolhas gasosas na espuma (timpanismo espumoso). Ainda que ocorra contração ruminal, as bolhas em excesso não se rompem para serem eliminadas.

Problemas relacionados à dieta dos bovinos desencadeiam esse tipo de timpanismo, como forrageiras com alto grau de fermentação; granulometria dos grãos muito fina; além de dietas não balanceadas (volumosos e concentrados desproporcionais).

Timpanismo secundário


No timpanismo secundário, os bovinos sentem dificuldades de eructação (arrotar). São vários os fatores que levam o animal a apresentar esse problema, como incapacidade de neutralizar o pH ruminal (devido a alterações na saliva do bovino); corpos estranhos obstruindo o esôfago do animal; enfartamento ganglionar (causado por infecções); lesões nas vias de manutenção do reflexo de eructação; entre outros.

Quais são os sintomas?


A distensão anormal do rúmen causa desconforto ao animal, que recusa a se alimentar. Além disso, há aumento da frequência respiratória. Com isso, o animal mantém a língua para fora da boca e distende membros e pescoço. Em casos mais avançados do problema, o bovino cai com a boca aberta, língua para fora, olhos dilatados e cabeça distendida. Sem tratamento, algumas horas após iniciarem os sintomas, o bovino morre.

Como tratar o timpanismo?


O tratamento alivia rapidamente a distensão do rúmen. Em geral, o médico veterinário estimula a eructação e a salivação do animal. O profissional também pode utilizar uma sonda orogástrica, bem como agentes antiespumantes. Sem falar no tratamento conhecido como ruminotomia. Entretanto, a melhor forma de evitar o timpanismo é com a prevenção. Uma dieta equilibrada, com inclusão de aditivos ionóforos é um bom exemplo.

Conheça os Cursos CPT da Área Gado de Leite:

 

Planejamento Alimentar em Sistema de Pastejo - Para Gado de Leite e Corte

 

Pastejo Rotativo em Capim-Elefante

 

Fabricação de Ração na Fazenda

 

Fonte: Milk Point

 

Por Andréa Oliveira

Faça já o Download Grátis
Faça já o Download Grátis Alimentação de Gado de Corte

Basta preencher os campos abaixo para receber o material por e-mail:

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!