WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Como compostar carcaças suínas?

Para implantação da técnica da compostagem em carcaças suínas é necessário apenas uma equipe orientada e manejo correto do biocomposto para que o produto final fique dentro do esperado

Como compostar carcaças suínas?   Artigos CPT

Para implantação da técnica da compostagem em carcaças suínas é necessário apenas uma equipe orientada e manejo correto do biocomposto para que o produto final fique dentro do esperado. “Vale destacar, porém, que são recomendadas análises periódicas para verificar a qualidade do produto final”, explica Professor Marcelo Dias da Silva, do Curso CPT Compostagem de Carcaças e Outros Resíduos de Origem Animal.

Quando bem feita, não haverá na compostagem mau cheiro, moscas e larvas ou patógenos. Existem diferenças entre compostagem para fezes de suínos e para carcaças (incluindo restos de placenta e outros materiais semelhantes). Considerando o potencial zoonótico destes materiais, é importante que toda a equipe envolvida na manipulação desses resíduos seja treinada por um médico veterinário.

Na construção da composteira, o box deve ter o piso protegido com material impermeável para evitar infiltração do material residual que possa contaminar o lençol freático, inclusive, em algumas regiões existem leis que orientam sobre o distanciamento de composteiras das fontes de água de aproximadamente 20 metros. Esse distanciamento varia de acordo com a lei ambiental de cada região.

Para compostagem de resíduos de suínos, o número de boxes varia de acordo com o número de animais da propriedade e deve obedecer aos seguintes critérios:


- São construídos boxes de 2 metros de altura em alvenaria que, à medida que vão sendo preenchidos, devem ser fechados para que tenha início o processo de compostagem. Assim, cada um se encontrará em um ciclo de maturação da compostagem.
- Para receber os resíduos que serão decompostos, inicialmente deve-se cobrir o fundo da composteira com algum material de granulometria maior, como maravalha, cuja camada deve ter aproximadamente 30 cm de espessura.
- Em seguida, é colocado outro material de granulometria intermediária, como serragem. Assim, a camada inicial da composteira está pronta para receber os materiais que serão decompostos.

Atenção!


Considerando a importância da biossegurança, é muito importante que os funcionários ou outras pessoas que manipularão a compostagem usem equipamentos de proteção individual, como botas, macacão, luvas e até óculos para garantir o distanciamento devido do material contaminado.

- Quanto à preparação das carcaças que serão colocadas na composteira, em se tratando de suínos, é muito importante abrir a barriga e perfurar as vísceras para evitar que, no decorrer do processo de compostagem, haja fermentação excessiva e explosão desse material:

» Animais de até 30 kg, após o procedimento supracitado com as vísceras, podem ser dispostos na composteira inteiros.
» Animais maiores que isso devem ser esquartejados em pedaços menores, para possibilitar o acesso pelos microrganismos decompositores. É importante que o material da compostagem seja distribuído por igual dentro da composteira, mantendo certa distância da parede e entre as carcaças, as quais não podem ser amontoadas.

- Colocada a primeira camada de resíduos (carcaças ou outros), esses devem ser cobertos com uma camada de 30 cm de maravalha que deverá ser umedecida. Em se tratando de carcaças de 30 kg, deve-se utilizar aproximadamente 15 L de água para umedecer o material. A proporção de líquido varia de acordo com o clima da região, bem como com a umidade local.
- Acrescenta-se mais uma camada de aproximadamente 15 cm de uma maravalha mais grossa. Esse processo é repetido à medida que vão sendo montadas camadas de carcaças até completar o box, e à medida que forem colocadas as camadas, vai-se fechando o box com ripas de madeira.

(A) - Carcaça de suíno com a barriga aberta e vísceras perfuradas, (B) – Carcaças  retalhadas e umidificação da cobertura; (C) - Camada de compostagem pronta   Artigos CPT

Fotos: (A) - Carcaça de suíno com a barriga aberta e vísceras perfuradas, (B) – Carcaças retalhadas e umidificação da cobertura; (C) - Camada de compostagem pronta Artigos CPT

Ao construir o teto da composteira, é preciso deixar uma margem de 50 cm aberta, devidamente telada, colocando o telhado logo acima, pois no processo de compostagem ocorre fermentação aeróbica, ou seja, necessita de oxigenação.

Na primeira fase da compostagem, ocorre o aumento da temperatura em aproximadamente 70 oC e que se mantém por 72 horas, sendo suficiente para matar todos os microrganismos patogênicos quando a compostagem é bem conduzida. Quando não é feito o controle adequado, os microrganismos permanecem no material, sendo identificados nas análises posteriores.

Composteira para resíduos suínos   Artigos CPT

Foto: Composteira para resíduos suínos Artigos CPT

Atenção!


Quando se trata de carcaças, não é indicado o revolvimento do material, pois isso pode expor fragmentos e atrair animais escavadores, do mesmo modo, não se devem deixar as carcaças descobertas por motivo nenhum, mesmo se posteriormente forem acrescentados mais animais.

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Conheça os Cursos CPT da área Medicina Veterinária.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!