WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Estudando anatomia equina? Veja como é feita a descrição dos dentes

De acordo com Marcelo Lopes de Santana, Professor do Curso CPT Anatomia Veterinária: Anatomia Sistemática dos Animais Domésticos, "a dentição do equino é totalmente adaptada a uma alimentação abrasiva, uma vez que a fibra vegetal tem essa característica"

Estudando anatomia equina? Veja como é feita a descrição dos dentes   Artigos CPT

De acordo com Marcelo Lopes de Santana, Professor do Curso CPT Anatomia Veterinária: Anatomia Sistemática dos Animais Domésticos, “A dentição do equino é totalmente adaptada a uma alimentação abrasiva, uma vez que a fibra vegetal tem essa característica.”
• Dentes decíduos: não apresentam dentes caninos nessa fase, por isso o número zero, tanto na arcada superior quanto na inferior.
• Dentes permanentes: a grande maioria dos animais apresentam 3 dentes pré-molares na arcada superior, mas alguns indivíduos apresentam a erupção de mais um pré-molar, por isso a fórmula foi construída dessa forma.

Os dentes incisivos dos equinos apresentam, ao longo da idade, uma posição diferente de oclusão, que é o contato dos dentes da arcada superior com a inferior. A oclusão dos equinos mais jovens é quase perfeita, mas este contato vai se perdendo conforme a idade, ou seja, a angulação dos dentes muda com o tempo.

Os dentes caninos, nos equinos, apresentam uma particularidade: as fêmeas costumam não apresentar a erupção desses dentes. Após os caninos, é possível ver um espaço que vai até o local onde ficam os pré-molares, conhecido como diastema. Vale lembrar que a maioria dos equinos apresentam só do 2o ao quarto pré-molar. O primeiro pré-molar, quando presente, é chamado de dente de lobo, sendo pouco frequente e normalmente aparece na arcada superior. Tal dente não faz a trituração, então a indicação é de que ele seja extraído por dois motivos: como ele não participa desse processo, ele vai desviando e promove lesões na mucosa da bochecha e da boca; outro problema é quanto ao uso de uma embocadura, já que o contato do bridão com o primeiro dente pré-molar causa dor, fazendo o animal resistir ao comando dado. Na sequência, vem os dentes molares, que são 3 por arcada em cada antímero.

Os dentes molares tem um fechamento da raiz mais tardio, ou seja, esses animais terão esses dentes com maior tempo de crescimento, apresentando uma vida útil maior. É importante ressaltar, também, que os pré-molares e molares da arcada superior são mais largos do que os da arcada inferior, o que faz com que os dentes nesse animal não apresentem boa oclusão. Em consequência desse desgaste irregular, a face mais lateral do dente fica menos desgastada, o que faz formar pontas nos dentes. Com o tempo, essas pontas podem machucar na região da bochecha ou da língua, sendo necessário que o faça a manutenção dessas pontas, passando uma grosa para polir o esmalte em excesso, regularizando os dentes.

Arcada dentária de um equino mostrando todos os grupos de dentes


Arcada dentária de um equino mostrando todos os grupos de dentes Artigos CPT

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Gostou da matéria? Leia mais sobre o assunto abaixo:


- Sr. Veterinário: conheça os anexos da boca de caninos e equinos

Conheça os Cursos CPT da área Medicina Veterinária.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!