WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Como podemos te ajudar?
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Leitões recém-nascidos: reanimação, secagem, cuidados com o umbigo e aquecimento

Segundo Paulo Henrique Reis Furtado Campos, leitões que nascem com insuficiência respiratória precisam ser reanimados

Leitões recém-nascidos: reanimação, secagem, cuidados com o umbigo e aquecimento   Artigos CPT

Segundo Paulo Henrique Reis Furtado Campos, professor do Curso CPT Manejo de Leitões do Nascimento ao Abate, “leitões que nascem com insuficiência respiratória precisam ser reanimados”. O procedimento de reanimação passa por duas etapas. São elas:


- Realiza-se massagem torácica no animal, por meio da manobra de movimento sanfona, visando estimular o diafragma do animal, e inspiração de ar.
- Ao mesmo tempo em que se faz a massagem, pode-se soprar ar por meio da boca do animal.

Na suinocultura, a primeira semana após o parto é considerada a mais crítica, quando ocorre a maior incidência de mortes entre os leitões devido aos seguintes fatores:


- Animais que já nascem debilitados.
- Fornecimento inadequado de temperatura.
- Mau manejo da ingestão de colostro e de leite.
- Esmagamento pela mãe, devido, muitas vezes, a celas inadequadas.

A secagem dos neonatos, próximo passo a ser dado, inicia-se pelas vias nasais, retirando qualquer obstrução. Em seguida, faz-se a secagem do corpo. Esse processo é realizado com papel toalha, o qual deve ser descartado logo após o uso.

Reanimação de suíno neonato: manobra de sanfona para estimular o diafragma e Secagem do suíno neonato   Artigos CPT

Foto: Reanimação de suíno neonato: manobra de sanfona para estimular o diafragma e Secagem do suíno neonato.

O umbigo é fonte de entrada de patógenos no organismo dos animais, por isso, logo após a secagem, realiza-se o corte e desinfecção da seguinte forma:


- Fazer uma amarração com distância aproximada de um dedo do local de inserção do umbigo, utilizando barbante embebido em iodo para desinfecção.
- Em seguida, corta-se o restante e umedece-se o umbigo com iodo.

Atenção!
O nó não pode ser muito apertado, caso contrário cortará o umbigo. O corte do umbigo deve ser feito distante do barbante para evitar que este saia.

Quanto ao fornecimento de calor, é bom saber que os neonatos têm o sistema regulador pouco desenvolvido, baixa disponibilidade de reservas corporais, ausência de tecido adiposo marrom e alta superfície de perda de calor, sendo, por isso, suscetíveis a estresse por frio. Desse modo, a temperatura do ambiente na maternidade para esses indivíduos deve ser entre 30-32oC para sua sobrevivência e bom desenvolvimento, o que é conseguido utilizando escamoteadores e luz infravermelha, resistência ou outros sistemas para aquecer.

Atenção!
Leitões amontoados caracterizam temperatura inadequada ou má distribuição de aquecimento. Nesse caso, é preciso verificar a necessidade de melhor a distribuição da fonte de aquecimento ou aumentar a intensidade de calor.

Saiba mais sobre o assunto. Leia a(s) matéria(s) a seguir:


- Uma área de produção que só cresce no Brasil? A suinocultura!

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Conheça os Cursos CPT da área Medicina Veterinária.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!