WhatsApp SAC (31) 98799-0134 WhatsApp Vendas (31) 99294-0024 Ligamos para Você Central de Vendas (31) 3899-7000
Fale com uma Especialista
0

Seu carrinho está vazio

Clique aqui para ver mais cursos.

Na prática, como funcionam os aterros sanitários?

Aterro sanitário, segundo IPT (1995), é uma técnica de disposição de resíduos sólidos no solo, sem causar danos ou riscos à saúde pública, minimizando os impactos ambientais

Na prática, como funcionam os aterros sanitários?   Artigos CPT

Aterro sanitário, segundo IPT (1995), é uma técnica de disposição de resíduos sólidos no solo, sem causar danos ou riscos à saúde pública, minimizando os impactos ambientais. Esse processo busca reduzir os resíduos a uma menor área possível, e cobri-los; e é utilizado para material não reciclável.

“O processo de aterro ocorre após separação dos resíduos segundo suas características e pesagem. Para realizar o aterro sanitário, inicialmente as células são abertas e recebem os caminhões que transportam os resíduos. Posteriormente, é feita a compactação e dispersão do lixo que, em seguida, é coberto”, explica Prof. Marcelo Dias da Silva, do Curso CPT Saneamento e Zoonoses em Medicina Veterinária.

As camadas de resíduos depositadas são chamadas de células. A área onde será depositado o lixo deve ser nivelada e impermeabilizada com lona de material específico, para evitar a infiltração do chorume no solo. São feitas vias de circulação, importantes para a drenagem desse líquido captado. Após alcançar a capacidade de disposição de resíduos, o aterro é coberto por vegetação, e um novo é criado.

O chorume


O chorume captado das células de lixo é encaminhado para a lagoa anaeróbica através de tubulações impermeáveis. Na lagoa, o líquido é trabalhado por bactérias anaeróbicas, evitando a poluição do meio ambiente. Assim como é feito no processo de construção do aterro, sob a lagoa anaeróbica também é colocada, no processo de construção, uma lona impermeabilizante, impedindo que o líquido infiltre no solo.

Normas para o funcionamento de um aterro sanitário


1- No aterro sanitário não pode haver infiltração do solo.
2- O chorume deve ser drenado para a lagoa anaeróbica.
3- Os gases devem ser queimados.

Outros tipos de aterro


- Aterro controlado

Solução criada, prevista por lei, para substituição dos lixões, até que os aterros sanitários fossem desenvolvidos. No aterro controlado não há obrigatoriedade de impermeabilização de base e são feitas coberturas diárias dos resíduos com terra; existe controle de entrada e saída de pessoas.

- Lixão

Consiste em depositar o lixo em determinado local. Essa prática é feita sem preparação prévia do solo e sem tratamento de efluentes, o que gera a poluição do meio ambiente, inclusive dos lençóis freáticos; e atrai animais siantrópicos, vetores de doenças, e pessoas economicamente menos favorecidas, que buscam no lixão algum benefício.

Quer saber mais sobre o Curso? Dê Play no vídeo abaixo:


 

Saiba mais sobre o assunto. Leia a(s) matéria(s) abaixo:


- Atenção, veterinários: água boa, animais saudáveis!

Conheça os Cursos CPT da área Medicina Veterinária.
Por Silvana Teixeira.

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

O CPT garante a você 100% de segurança e
confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Seu comentário foi enviado com sucesso!

Informamos que a resposta será publicada o mais breve possível, assim que passar pela moderação.

Obrigado pela sua participação.

Últimos Artigos

Artigos Mais Lidos

Fique por dentro das novidades!